Arqueologia
Ambiente
Actividades
Notícias
Encontro “Compreender a paisagem cultural do Tejo e os seus valores” - 22 deJaneiro de 2011

Associação Tagus Universalis Portugal deu conta do início da árdua caminhada (e do seu progresso) juntamente com a Associação Tagus Universalis Espanha, para que a paisagem cultural do Tejo seja inscrita na Lista de Património Mundial da UNESCO.



Uma caminhada que permitirá reconciliar a nossa Sociedade consigo própria por intermédio dos perenes valores culturais e naturais do Tejo, restituindo-os protegidos e valorizados às gerações vindouras.

A data da sessão introdutória (22 de Janeiro de 2011) do Encontro “Compreender a paisagem cultural do Tejo e os seus valores” será confirmada nos princípios de Janeiro próximo.


Tagus Universalis – Associação

 

Nota Informativa (15 de Dezembro de 2010)

 

Quem somos?

A Tagus Universalis – Associação, NIPC 508847303, também Associação Tagus Universalis Portugal ou Associação, rege-se pelo disposto no Acto Constitutivo e respectivos Estatutos, os quais, em certidão requisitada sob o n.º 31/2009, foram inscritos na Conservatória do Registo Nacional de Pessoas Colectivas (Praça Silvestre Pinheiro Ferreira, 1-C, Apartado 4064 1501-803 Lisboa) em 14 de Janeiro de 2009.

Corpos sociais (eleição e tomada de posse em 27 de Outubro de 2010)

Assembleia-Geral:

Presidente – Gilberto d´Oliveira Domingos

1º Secretário – Carlos César Salgado

2º Secretário – Jaime Calçada Gomes

Direcção:

Presidente – José Bastos Saldanha

Vice-Presidente (substituto do Presidente) – António Antunes Dias

Vice-Presidente (ligação à Tagus Universalis Espanha) – Barbara Palomares

Vogal (em acumulação com as funções de Tesoureiro) – António Maia Nabais

Vogal (em acumulação com as funções de Secretário) – João Soromenho Rocha

Conselho Fiscal:

Presidente – Miguel de Azevedo Coutinho

Vogal – João d´Oliveira Domingos

Vogal – Francisco Almeida

 

Finalidade

Influenciar decisivamente a Sociedade Portuguesa - em cooperação com a nossa congénere Tagus Universalis Espanha - para que a paisagem cultural do Tejo Ibérico seja inscrita na Lista de Património Mundial da UNESCO e assegurar que seja preservado o seu excepcional valor universal. Nesse sentido, a Declaração de Vila Franca de Xira de 20 de Junho de 2009 - que recebeu uma aprovação de princípio dos seus participantes - enuncia a decisão de instituir a Rede Transnacional de Cultura do Tejo e faz apelo ao apoio de instituições públicas e privadas e à participação cívica (em anexo).

Objectivos

_A Associação Tagus Universalis Portugal vai lançar um amplo debate sobre o conceito de paisagem cultural aplicável ao Tejo para definir e compilar os elementos essenciais à fundamentação da Candidatura, os quais devem depois ser validados para ganhar a forma final de um Atlas do Tejo.

_O mesmo debate vai permitir desenvolver, com as redes sociais locais, uma percepção mais ampla sobre o Tejo e a sua paisagem cultural, por intermédio da construção ascendente de uma Rede Transcomunitária da Paisagem Cultural do Tejo Português.

 

Encontro “Compreender a paisagem cultural do Tejo e os seus valores”

― Sociedade de Geografia de Lisboa, 22 de Janeiro de 2011 (a confirmar)

Em planeamento:

Missão - apresentar a ideia da candidatura do Tejo ibérico para inscrição na Lista de Património Mundial da UNESCO e apreciar o conceito de paisagem cultural aplicável a fim de conhecer as suas implicações em termos institucionais, mormente a sua adequabilidade e a exequibilidade como candidatura transnacional.

Organização

Painel 1 – “A paisagem e o Tejo” (Os conceitos de paisagem da UNESCO e do Conselho Europeu e o processo de candidatura transnacional; o caso da paisagem cultural do Alto Douro Vinhateiro; e as unidades de paisagem no Tejo português)

Painel 2 – “A água: o elemento essencial” (O implemento da diretiva-quadro da água; a gestão dos recursos hídricos transfronteiriços; a gestão sustentável da bacia hidrográfica do Tejo e as comunidades; água e biodiversidade: a sustentabilidade ecossistémica do Tejo)

Painel 3 – “Tejo: Interação entre Natureza e comunidades” (Como harmonizar os critérios de definição dos limites da paisagem cultural do Tejo com opções estratégicas de desenvolvimento regional; paisagem cultural: o vínculo espiritual na conservação dos valores naturais do Tejo; o uso milenar dos espaços agrícolas e florestais do Tejo e a requalificação sustentável da ruralidade dos processos produtivos tradicionais e das artes e dos ofícios afins; o Tejo: lugar inquieto de memórias, identidades e culturas; a construção da paisagem cultural como instrumento de afirmação da cidadania e de coesão social das comunidades, o elo essencial na proteção e valorização do património natural e cultural (material e imaterial); que Tejo deixamos aos vindouros?)

 

A Associação Tagus Universalis Portugal apela às instituições, públicas e privadas, e à sociedade civil, em particular às comunidades da borda d’água, o apoio institucional e a participação cívica, condições indispensáveis à construção da Candidatura.

 

Agradece-se a sua participação e a divulgação desta informação!

« Setembro 2017 »
D S T Q Q S S
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
             
SIGA AS NOSSAS PEGADAS
 PESQUISA