Arqueologia
Ambiente
Actividades
Notícias
Campo Arqueológico de Proença-a-Nova 2015

O Campo Arqueológico de Proença-a-Nova (CAPN) foi criado em 2012 com o fim de investigar o património arqueológico de Proença-a-Nova, município localizado no centro de Portugal. na actual Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa. Tem âmbito internacional e foco principal na participação de estudantes de arqueologia e de arqueociências.

O CAPN é organizado pela Associação de Estudo do Alto Tejo e pela Câmara Municipal de Proença-a-Nova e conta com o apoio de várias universidades portuguesas e espanholas (Coimbra, Évora, Porto e Alcalá de Henares), de centros de investigação (Laboratório Hércules, Centro de História de Arte e Investigação Artística e Instituto de Ciências da Terra, da Universidade de Évora), do Exército Português, do Geopark Naturtejo, de empresas privadas (EMERITA, Superfície Geomática, Visa Consultores, Procesl e TTerra) e ainda com a participação singular de diversos investigadores.

O programa do CAPN inclui, para além dos trabalhos de escavação arqueológica e de outras práticas de campo (diagnóstico geofísico, digitalização tridimensional das escavações, de estruturas e de grafismos rupestres e prospecção arqueológica), visitas de estudo na região e conferências.

Estas actividades são de frequência obrigatória para os participantes inscritos que estão igualmente obrigados a fazer uma avaliação do CAPN. Durante a campanha de 2014, a avaliação global dos participantes atingiu um elevado grau de satisfação, com uma média de 4,7 numa escala de 1 a 5. No final do campo serão emitidos diplomas de participação.

Em 2015 o CAPN integra cinco diferentes escavações repartidas por três diferentes tipos de sítios, em termos cronológicos e funcionais. Além dos objectivos de investigação pretende-se proporcionar aos participantes uma aprendizagem das metodologia de escavação inerentes aos vários tipos de sítios arqueológicos.

No seguimento dos trabalhos executados em 2013 e 2014 pretende-se investigar os métodos construtivos e os rituais funerários que tiveram lugar nas sepulturas megalíticas do Cabeço da Anta e de Vale de Alvito (4º a 3º milénio a.C). No primeiro monumento, um dólmen com uma câmara, de nove esteios, já delimitada à superfície e envolvido por grande tumulus, com mais de 30 metros de diâmetro e quase 3,5 metros de altura, pretende-se concluir a escavação na câmara funerária, mas a investigação deverá prosseguir em próximos anos. Até ao momento já se obtiveram dados de muita relevância para a caracterização das técnicas construtivas deste tipo de monumentos. A primeira campanha foi antecedida por diagnóstico geofísico e em 2014 foram efectuada recolha de amostras para análise química das argilas utilizadas na construção da mamoa. Em 2015 pretende-se concluir a escavação da sepultura megalítica de Vale de Alvito com a intervenção na área do corredor de acesso à câmara funerária que foi escavada nos anos precedentes.

Em Chão de Galego (2º a 1º milénio a.C) pretende-se investigar um amplo sítio arqueológico muralhado cuja implantação topográfica sugere corresponder ao final da Idade do Bronze. Perspectiva-se a sua funcionalidade como povoado refúgio, associado a período de instabilidade e conflitualidade, à escala regional, em consequência do estabelecimento de feitorias fenícias nas costas da Península Ibérica. Os trabalhos de campo incluem sondagens arqueológicas e prospecções no amplo espaço de incidência deste recinto e zona envolvente.

No seguimento dos trabalhos efectuados em 2007, publicados no nº 1 (2008) da revista digital Açafa on line, no âmbito da investigação da Linha Defensiva das Talhadas - Moradal (séculos XVIII e XIX), em 2015 pretende-se escavar os fossos sul e norte do forte das Batarias e iniciar a escavação da bateria sobranceira à Ponte do Alvito, para caracterizar a sua técnica construtiva da estrutura e respectiva esplanada.
O bom desenvolvimento do CAPN deve-se principalmente ao forte empenhamento da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, através dois meios disponibilizados e do excelente acompanhamento de todos os participantes. Refira-se também a receptividade dos proprietários dos terrenos onde se situam os diferentes sítios arqueológicos e o acolhimento proporcionado pelo Seminário do Preciosíssimo Sangue, no alojamento do numeroso grupo de participantes.

 

http://archaeologicalfieldcamps-portugal.pt/

« Maio 2017 »
D S T Q Q S S
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31      
             
SIGA AS NOSSAS PEGADAS
 PESQUISA